Descobertas de criança

sexta-feira, setembro 7

Quando eu era criança, na minha rua havia muitas outras e brincávamos todos os dias depois da escola, uma família tinha 6 filhos, 3 meninas e 3 meninos e outra tinha 4, 3 meninas e 1 menino, na minha casa só eu, pois meus irmãos eram mais velhos e não brincavam na rua, tínhamos um laço muito grande, parecia que todo mundo era da mesma família.

Um belo dia uma das meninas da família de 4 filhos ficou doente, foi levada para o hospital, demorou muito por lá, minha mãe não me levou para visitá-la, os outros amigos da família de 6 filhos também não foram, sentíamos falta dela, tudo ficou estranho, pois a alegria em nossas casas já não era a mesma, a família de 11 filhos que éramos, estava muito abalada.

Começou a se ouvir a palavra doador que eu não sabia o que significava, a preocupação a cada dia aumentava, o semblante dos pais dela mudou drasticamente, depois eu ouvia na minha casa, coitada de Patrícia, tão criança, não merecia isso, eu perguntei a minha mãe o que era, porque ela não voltava do hospital, foi então que “mainha” me explicou que Patrícia estava com uma deficiência nos rins, e necessitava de um novo, mas que era difícil encontrar um que coubesse dentro dela, daí me disse para que servia os rins e que sem ele seria difícil viver.

Foi quando pela primeira vez me deparei com a morte, uma amiga tão inocente, tão linda e cheia de vida, nunca mais voltou do hospital...

A única imagem que tenho dela na cabeça é ela me pedindo silêncio numa brincadeira de esconde-esconde, depois disto nunca mais vi Patrícia, e aprendi que tudo que é vivo morre....

E que um dia, seria minha vez...

26 Fazendo tudo:

Luisa disse...

wooooow man
que profundo serim...
eu nem tenho colegas que morreram..
tudo o que eh vivo morre
parece o uto da compadecida..
passou hoje....

... Raphael disse...

realmente fica ate dificil de comentar... escreveu muito bem e realmente passou a inocencia de uma criança no seu momente e termina com a unica certeza q temos A MORTE

abraço

Renan disse...

Pq será que qndo falamos de um assunto triste mas comparamos coma inocência da infancia ele se torna ainda mais triste e pesarozo?

avelaneiraflorida disse...

Por isso aprecio o trabalho de TODOS os voluntários que ajudam as crianças hospitalizadas a sorrir e a enfrentar o desafio de cada dia!!!!

Um BOm Fim dE SEMANA!!

Girassol disse...

O que me tocou mais foi o problema da insuficiência renal, pois é uma realidade que conheço bem de perto.

Costuma-se dizer que o que temos mais certo na vida é a morte, mas jamais nos conseguiremos habituar ou aceitar facilmente a ideia.
Quando se trata de crianças, parece que tudo é ainda mais complicado, né?

Mas, com certeza, Patrícia levou cada um de vocês no coração e se tornou numa bonita estrela, daquelas que iluminam as noites mais lindas e nos enchem o coração de esperança.

Menina, adorei essa ideia do clip do google reader, é muito difícil de fazer isso?

Beijos.
Bom fim de semana.

Mariliza Silva disse...

Sabe, acabei de me lembrar que não perdi ainda ninguem tão próximo assim, destas pessoas queridas que vemos todos os dias e de repente não se vê mais.....Sem comentários.

Mariliza

marilia disse...

Ola!
Que texto significativo e triste.

Um beijo, e adorei essa ideia do clip do google reader, é muito difícil de fazer isso?
Se quiser...rsss,me mande um email..
bjos e bom fim de semana!

L.Reis disse...

Olá Elza
Só hoje dei conta da indicação do meu blog para a "brincadeira" do prémio...é o que fazem as férias...deixam-nos na mais santa ignorância :):)
Mesmo assim, atrasada e tudo, parabéns pelo sucesso que a ideia parece ter tido.

Mariposo-L disse...

IIIIIIIIIIIIIIII credo Elzinha, não gostei do post não ....muito triste ... um beijão !

helena disse...

Lamento elza, pela tua perda, ela demasiado jovem para morrer e tu muito nova pra assistir a isso..
Fica bem viu.
Te adoro!!!

nadja disse...

Oie miguxinha ...ESTOU NA SALINHA DO C.M.I PASSE LÁ PRA TOMAR UM CHÁZITO COMIGO!!!!!

ro---.•:*¨`*:•....•:*¨`*:•.- Pouca coisa é
--::: ........................:::- necessária para
--*: .........................:* - alegrar o dia.
---•' ....................... •* - Basta ter
----*,. ...................,* - amor no coração
------*•, .............,•*- e amigos como
--------*•, ......,•*- VOCÊ!!!
-----------`°♥°OTIMO FERIADÃO b-jusssss

Mariposo-L disse...

Amigaaaaaaa, legal que vc gostou do clip de rss :)))
bjs

Carol disse...

é amiga... essa é a nossa únoica certeza.

Triste perder quem amamos...


beijos

Mel disse...

Desde cedo aprendemos como é realmente a vida, a morte... De qualquer forma, apesar da perda, e virão muitas outras futuramente, é sempre bom deixar a criança participar dos lutos.

Bom fim de semana, beijo.

Priscila Pires disse...

ai que triste. Tenho um tio que quase morreu por problemas de rim e qdo era pequena, devia ter meus 11 anos, tive um amigo que morreu tb. td comecou de uma hora pra outra. Perder peso, ficar internado, etc etc ateh que soube que ele tinha tumor no cerebro.Morreu assim.
Uma tristeza sem tamanho.Diego era o nome dele...nossa deu ateh vontade de chorar agora.bjosss

Mulher Aspirina disse...

Que cantinho lindo esse seu! Adorei.
Essa experiência de vida e morte não é nada bom, ainda mais quando se trata de criança e doença... triste.
Beijocas.

Rafael Barbosa disse...

Eu nunca perdi um amigo. Só parentes e eu já era mais crescido. Mas quando se é novinho assim, deve ser muito estranho o sentimento. =/

bjo!

Viktor Navorsky disse...

Pow.. que barra ein. Eu nunca perdi um amigo assim, mas tenho medo disso sabe, eu sempre me julguei forte, a rocha, acho que em momentos assim eu me revelaria mto fraco.

Naty disse...

Olá vim conhecer teu cantinho e gostei.voltarei
bjs naty

nana' hayne disse...

deve ser bem estranho para uma criança...o q to falando...tsk tsk tsk...
é estranho sempre, ainda q tenhamos 200 anos, apesar da certeza a morte é sempre um assunto difícil :(

bjs

MaxReinert disse...

pois... eu também passei por uma situação parecida....
a gente fica muito vulnerável, né?
por outro lado, a relação tão cedo com a morte faz a gente amadurecer antes (eu acho!)...
Depois disso, passei a me relacionar diferentemente com algumas coisas da vida!

Som do Som disse...

É muito difícil perder alguém de quem se gosta... ainda mais quando criança.

abraço!
http://somdosom.blogspot.com/

Adoa disse...

Voltei agora de um funeral... Um miúdo de 21 anos... em 1992 fui ao de uma amiga e colega de escola... São situações que marcam uma vida

Pathy disse...

realmente, tudo que existe um dia acaba

Mara* disse...

Tarefa difícil falar sobre a morte. Misteriosa ela sempre chega de surpresa, dama cruel e fria. Em certas circunstâncias, por demais incompreensível. Um abraço.

Bernardo Lima disse...

é...
sempre penso nessas coisas, pois perdi um irmão em 2005 e até hoje penso e sonho com ele tds os dias...
enfim, hj li uma frase legal na rua:

"quem inventou a distância não sabia a dor da saudade"

bj e bom post!

Diseño original por Open Media | Adaptación a Blogger por Blog and Web